Sites Grátis no Comunidades.net Criar um Site Grátis Fantástico

 


ENQUETE
A CRIANÇA DEVE SER EDUCADA PARA A SUSTENTABILIDADE
SIM
NÃO
NÃO VAI FAZER DIFERENÇA
INUTIL
PODER PUBLICO NÃO APOIA
TALVEZ
É MURRO EM PONTA DE FACA
GOVERNO NÃO APOIA
Ver Resultados

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

PROJETO EDUCANDO PARA A PAZ INTERDISCIPLINAR PARA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

JUSTIFICATIVA

Dentro de nosso ativismo, em defesa do Meio Ambiente, apreendemos que, no curso da historia da humanidade há, uma intrínseca relação entre o homem como gênero humano e o meio ambiente no qual vive.

De forma objetiva, visando seu desenvolvimento sócio, econômico e humano, o homem, usa a natureza como meio de habitação e de subsistência, explorando os seus recursos naturais. Dentro desta premissa, outrora o viver do homem com a natureza era pacífico em si. Como evidencia a história, isto durou por pouco tempo.

O tão almejado desenvolvimento econômico, social e humano, fez com que surgisse novos parâmetros de vida em sociedade, onde o homem, ganancioso por natureza própria, resolveu, afrontar a natureza, e foi criando, formas de viver social, organizada em tudo, visando o domínio econômico sobre tudo

Veio a era da industrialização, a  transformação dos insumos, matérias prima, de forma desvairada, em larguíssima escala, afrontando a natureza, chegamos em nossos dias, ao estado falimentar e de solução de continuidade do meio ambiente, se medidas  eficazes não forem tomadas, o homem, um animal mais irracional do que racional, vai destruir o meio natural no qual vive, e depende dele para viver.

Fatores como,  a explosão populacional, tendo na Ásia uma super explosão, principalmente na China, a produção desvairada de bens de consumo,  tem provocado o efeito colateral que é, a devastação do meio ambiente. E como conseqüência, os recursos naturais, a cada dia que passa, são mais escassos.

O caos no meio ambiente, a cada dia que passa mais se avoluma. O Capitalismo selvagem, que dita as regras no mundo globalizado, avulta no seio da comunidade, a injustiça social, com o desvairado desejo de lucro sobre lucro, e para que isto aconteça, patrocina a produção inconseqüente. Devasta as reservas naturais, sem importar-se com o amanhã, se vai haver ou não, condições de vida na Terra.

Principalmente as indústrias multinacionais,devastam os recursos naturais e não repõem o que tiram.Não criam produtos de fato renováveis,  o momento que vivemos de crise ambiental, se não for dado um fim a ela, as perspectivas para um futuro insólito para a humanidade, mais aventa-se.

Estamos no século XXI, O conhecimento humano, a cada dia que passa, proporcionam a criação de tecnologias de ponta, uma superiora outra, buscando proporcionar desenvolvimento entre tribos, povos e nações, mas para conseguirem seus objetivos, avançam de forma indiscriminada sobre as reservas naturais, nos países em desenvolvimento e subdesenvolvidos, e o Brasil, não esta fora deste bloco.

Apesar dos esforços do Poder Público a no combate a desigualdade social, o Brasil hoje, é um país onde assombra a fome, a miséria, o analfabetismo, a violência generalizada, o tráfico de drogas, a xenofobia, a intolerância correlata, entre outras mazelas, mas a agressão ao meio ambiente, a violência no campo, o desmatamento, contribui para que tudo isto aconteça.

As periferias das grandes cidades principalmente, transformaram-se em guetos, com condições de vida degradantes, um reflexo direto, não somente da injustiça social, mas também pela violação do meio ambiente, com a criação de favelas em área de preservação ambiental.

O IEP – Instituto Educando para a Paz entende que, a necessidade de sair-se do discurso improducente, e a partir, da Sociedade Civil,  partir para um ativismo producente, de efeitos imediatos dentro de uma visão positiva, na busca de resultados efetivos, no que tange a preservação ambiental, visando em tudo, a sustentabilidade.

Entende ainda o IEP, que há uma necessidade premente, de uma mudança eficaz, em todo o sistema do conhecimento humano, partindo da pré escola e do ensino fundamental, pois de isto não for feito, , entraremos de fato em solução de continuidade quanto a preservação do meio ambiente

Necewssáriose faz, principalmente aqui no Brasil, praticar, realizar o proposto na Conferenciada ONU sobre o meio Ambiente e Desenvolvimento, que foi realizada no ano de 1992, no Rio de Janeiro, a tão cantada RIO-92.

A Educação Ambiental é, a  ação eficaz no sentido de que, educando a criança, partindo do projeto Educando para a paz, do IEP, estaremos contribuindo, partindo da periferia, para a formação num futuro próximo, de uma sociedade sócio ambientalista responsável.

O IEP – Instituto Educando para a Paz, busca em sua ação, contribuir de fato, em gênero, numero e grau, para a formação de multiplicadores, no seio da Sociedade Civil, principalmente nas Comunidades periféricas das grandes cidades, visando em tudo, a partir da Educação Infantil, estabelecer os parâmetros do homem de amanhã, que busque em tudo, a ética, com  valores insofismáveis de valorização do ser humano, na busca do estabelecimento do desenvolvimento econômico,social, espiritual e humano.

Isto é possível, se partirmos da Escola Infantil e fundamental visando estes feitos, que redundarão na paz dentro da Comunidade, gerando funtos para a preservação ambiental e sustentabilidade, protegendo no futuro, próximo,  o meio ambiente, da destruição que se anuncia.

Desta e nesta forma, o IEP, traz a proposta do Projeto Educando para a Paz, iniciando com a Criação do Pólo de educação Ambiental de Franco da Rocha, Estado de São Paulo, Brasil, no bairro do parque dos Eucaliptos.

É um Projeto piloto, que com certeza, com a formação de multiplicadores, muitos outros pólos virão, tornando Franco da Rocha,situada em Zona de Mata Atlântica, referencia mundial em Preservação Ambiental e Sustentabilidade.

DR. JOSE CARLOS PEREIRA

JORNALISTA E EDUCADOR SOCIAL

UN VOLUNTER REGISTRO 666.321

SIGNATARIO DO PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS +15

Criar um Site Grátis   |